Chá e tricô

Eu cresci vendo minha avó tricotando. Infelizmente não aprendi tricô com ela. Eu não dava bola pra ele quando ela era viva e acabei aprendendo com uma de suas amigas depois que ela morreu. Mas o tricô pra mim sempre teve uma pitada de afetividade.

Além disso, tricô e inverno são quase que sinônimos e é aninhada num bom cobertor que nascem quase todas as minhas peças. Principalmente depois dos termômetros terem marcado -14º na região onde eu moro, próximo ao Pico da Bandeira.

No ano passado eu inventei uma receita de gorro com tranças pro site Ganhe Mais da Círculo e esse ano eu queria muito uma luva combinando. E depois de muito começa e recomeça, desmancha e tricota, eu inventei essa receitinha de luva de tricô sem dedos que eu divido agora com vocês:

Materiais:
1. 1 novelo de 40 g de lã comum;
2. Um par de agulhas de tricô 5,5mm;
3. Agulha de trança compatível;
4. Tesoura de arremate;
5. Agulha de tapeçaria.

Pontos empregados:
1. Ponto meia – p.m.;
2. Ponto tricô – p.t.;
3. Ponto barra simples – *1p.m./1 p.t.*
4. Trança de quantro pontos (CR4) : Deslize dois pontos para a agulha de trança e segure atrás do trabalho, faça 2 p.m. na agulha da esquerda e 2 p.m., volte os pontos deslizados para a agulha da esquerda e faça mais 2 p.m.

Execução:
Monte 42 pontos na agulha de tricô.
1ª a 5ª carreira: *Ponto barra simples*;
6ª, 10ª, 14ª e 18ª carreira: *CR4, 2 p.t.*;
7ª, 11ª, 15ª e 19ª carreira: *2 p.m., 4 p.t.*;
8ª, 12ª, 16ª e 20ª carreira: *4 p.m., 2 p.t.*;
9ª, 13ª, 17ª e 21ª carreira: *2 p.m., 4 p.t.*;
22ª carreira: 3 repetições de *CR4, 2p.t.*, 8 p.t., 3 repetições de *CR4, 2p.t.*;
23ª carreira: 3 repetições de *2 p.m., 4 p.t.*, 8 p.m., 3 repetições de *2 p.m., 4 p.t.*;
24ª carreira: 3 repetições de *4 p.m., 2 p.t.*, 8 p.t., 3 repetições de *4 p.m., 2 p.t.*;
25ª carreira: 3 repetições de *2 p.m., 4 p.t.*, arremate 8 pontos, 3 repetições de *2 p.m., 4 p.t.*;
26ª e 27ª carreira: continue com as repetições da trança. Note que as tranças centrais ficarão juntas, sem p.t. que as separem;
28ª carreira: continue as repetições, mas suba dois pontos no centro e faça p.t.;
29ª carreira: *2 p.m., 4 p.t.*;
30ª e 34ª carreira: *CR4, 2 p.t.*;
31ª e 35ª carreira: *2 p.m., 4 p.t.*;
32ª a 36ª carreira: *4 p.m., 2 p.t.*;
33ª a 37ª carreira: *2 p.m., 4 p.t.*;
38ª carreira: *p.t.*;
39ª carreira: *p.m.*;
40ª carreira: *p.t.*;
41ª carreira: arremate e costure as laterias.

E, pra acompanhar, a descoberta sensacional desse inverno: o chá com favo de mel. Na minha cidade tem um senhor, Seu Zé do Mel, que dizem que produz o melhor mel de todos. Além de ser um apicultor excelente, ele é um apaixonado pela natureza e prega a extração de produtos agrícolas de forma orgânica e sustentável. E foi depois de uma longa conversa sobre agriculatura que ele me prometeu um potinho de mel. Quase morri de emoção quando ele veio cumprir a promessa com favos de mel.

Com todo esse frio que vem fazendo, meu corpo pediu arrego e, no desespero por alguma coisa que esquentasse e acalmasse a tosse, coloquei um pedacinho de favo de mel dentro de um chá de camomila e fiquei apaixonada pelo resultado.

Quando o chá vai absorvendo o mel, a cera do favo vai se soltando e o ideal é coar o chá depois que o mel derreter. Fica um chá encorpado e delicioso. Se você encontrar favos de mel na sua região, vale muito a pena experimentar.

Comentários

comments